NOVIDADES

29.12.16

ESPECIAL FINAL DE ANO






FABRÍCIO SOUZA

Eu nunca consegui escolher o melhor livro que li na vida. Sempre me acho injusto quando elejo um, mas hoje vou falar (escrever) apenas sobre os dois melhores deste ano. E são dois! Parecia muito fácil antes da eleição. Mas não foi. E quanto a Carrie, A Garota na Teia de Aranha e O Diário de Anne Frank? Como descartá-los sem mais nem menos? Sem mais delongas, vamos aos nomes:

- Travessuras da Menina Má, de Mario Vargas Llosa. O livro tem uma narrativa apaixonante, Llosa cria personagens memoráveis, e o romance não é só romance. O que normalmente vejo em histórias românticas é o foco no triângulo amoroso, suas brigas e retaliações. No Travessuras vemos uma história de amor com clichês que não incomodam e uma abordagem no tom certo do contexto político-social que Ricardo e a Menina Má encontram em suas aventuras românticas por três continentes. 

- A Faca Sutil - Trilogia Fronteiras do Universo, de Phillip Pullman. Talvez o melhor livro de fantasia que já li. O maior pesadelo de todo escritor provavelmente é não encontrar uma palavra para definir aquilo do que fala. Genial. Ufa! Essas seis letrinhas descrevem tudo o que se passa aqui. Lyra e Will, Cittàgazze e seu mundo infantil, o mundo de verdade, a filosofia, Lorde Asriel, a Torre dos Anjos, as questões polêmicas, a religião. Tudo nos suga para os universos paralelos de Pullman.


ALANA MART 

Extremamente difícil escolher apenas dois livros para falar, nesse ano tive a sorte de conhecer livros e autores maravilhosos, mas enfim descobri os dois livros que mais se sobressaíram:

- Precisamos Falar Sobre o Kevin. Com certeza entra para a lista dos livros da minha vida. Ele se destacou, principalmente, pela escrita minuciosa e corajosa, já que falar de um massacre cometido por um garoto de 16 anos não é fácil. O enredo é bem forte e extremamente realístico não só pela a tragédia central, mas também pelos temas secundários que envolve a família/pessoa/cidadão. Fiquei completamente imersa nessa leitura que sem dúvida é capaz de mexer com as emoções de qualquer pessoa. 

- Não Conte A Ninguém. Me conquistou pela sua trama perfeitamente estruturada. O autor, como sempre, não deixa escapar nenhum detalhe e ainda interliga traços e personagens de outras de suas obras. Envolvido por um pequeno toque de romance, o enredo é impecavelmente envolvente. A maneira como é escrito, os personagens, os acontecimentos e as surpreendentes revelações o tornam simplesmente cativante. Sem dúvida, um dos melhores suspenses policiais que já li. 


MAIARA YUKA  

- A Visita Cruel do Tempo da autora Jennifer Egan é com total certeza o melhor livro que li no ano de 2016, primeiro pela sua originalidade, segundo por seu tipo de narração que vai e volta no tempo, costurando uma teia de vidas que faz com que o livro tenha o próprio tempo como protagonista. Não há nada de fantástico e incrível na trama, só a vida como ela é, e isso que torna essa história tão original.

- O Fazedor de Velhos de Romeu Lacerda, é como já disse na resenha do mesmo, existem livros certos para os momentos certos, e mais ainda, para as pessoas certas, este livro muito provavelmente não seria o meu segundo colocado se eu não tivesse sentido tanta empatia pelo o protagonista Pedro que passava por dúvidas e anseios muito similares com os meus, e ainda mais, ter conseguido trazer as respostas dadas a ele para a minha própria vida.



BILL SOARES 

De todos os livros que eu li esse ano (não foram muitos), A Chave de Sarah foi o que mais me marcou sem sombra de dúvida. Eu o ganhei de aniversário, meu primo o comprou em um sebo, e eu nunca tinha ouvido falar desse livro que tem até uma ótima adaptação francesa (você pode encontrá-la no YouTube). Paris, 16 de julho de 1942. Cerca de 13 mil judeus são presos num único dia e concentrados por uma semana no Vélodrome D’Hiver, entre eles está a menina Sarah. Paris, maio de 2002. Julia, uma jornalista americana radicada na França, precisa escrever um artigo sobre esse episódio que o país tenta esquecer. Mal sabe ela que a sua história e a de Sarah estão prestes a colidir numa trama surpreendente. Essa história que fala sobre as marcas deixadas pela guerra, segredos de família e ainda engloba a questão do aborto é sensacional! Com uma leve crítica ao governo, Tatiana de Rosnay, a autora, conseguiu me emocionar muito com esse enredo poderoso. Leiam, assistam ao filme e se emocionem também!


LUANA LIMA  

Nesse ano eu levei umas boas rasteiras da vida, mas com certeza com ótimas leituras. Entre elas eu destaco um nacional e um internacional que fizeram valer a pena os momentos de leitura.

O Enigma do Oito foi o primeiro livro que me atraiu pela capa. Eu me hipnotizei pelo tom de azul e preto em 2010, mas foi nesse ano que decidir ler. A história caminha entre a Revolução Francesa e os anos 70, interligando os fatos envolta do Xadrez de Carlos Magno, que seria um objeto extremamente valioso que traz muito poder. O suspense é envolvente e apesar de alguns momentos cansativos, ele traz uma resolução maravilhosa no meio de diversas reviravoltas.

Entre a Mente e o Coração é o segundo livro da autora brasileira Lycia Barros. Eu que sempre me emociono com sua escrita, não podia ser diferente. O livro conta a história de Rico e a vida dele depois do livro A Bandeja. Uma história emocionante onde mostra os conflitos que todo ser humano vive sobre preconceito, insegurança, mudança de vida e desafios conflitantes. Decidi ler esse livro depois de perder meu primeiro filho nesse ano, pois eu sabia que iria me acrescentar sentimentos maravilhosos.


MARIANA MENDES 

Depois de todo a repercussão que esse livro deu em 2014/2015 eu prometi pra mim mesma que leria esse ano. Não sei o que rolava com esse livro, mas eu não ficava com vontade de lê-lo. Finalmente, depois de ver algumas fotos das filmagens da adaptação eu resolvi pegar ele numa madrugada qualquer. Acabei só fechando o danado quando terminei a última página. E realmente, é perfeito. Conta, com sutilidade e leveza, a vida do Auggie, um garoto que nasceu com uma deformidade no rosto e que deverá provar para os colegas que apesar da doença ele é tão normal quanto eles. Indico de olhos fechados, é também uma ótima pedida para os leitores mais jovens. Aproveita que o natal está aí e use como desculpa para incentivar a leitura! 

As Grandes Aventuras de Daniella: Desde que vi a capa desse livro fiquei louca pra ler. Toda divertida e colorida, me fez desejá-lo completamente. Finalmente, comprei o bonito na bienal, onde também conheci a autora, Luene. Já fui lendo na viagem de volta pra casa e as risadas foram inevitáveis. O livro fala da Dani, uma mulher linda, amada, esforçada, mas sofre muito com o fato de ser gordinha e junto a isso ainda é o ser mais desastrado do universo. E depois de terminar com seu namorado de anos (que também é seu chefe!!!) enfrenta poucas e boas tentando se encontrar e ser feliz outra vez. Uma história com dramas familiares, religiosos e sociais que prende o leitor do começo ao fim, é uma boa pra galera do chic lit.


MALU ASSUMPÇÃO

Esse ano com certeza foi recheado de boas leituras, e chega a ser um pouco difícil encontrar apenas dois livros para colocar como os melhores. Porém, tentarei fazer o meu melhor:

- S. (O navio de Teseu), porque ele conseguiu me deixar maluca por todas as tramas que se desenvolveram durante o livro, querendo saber mais sobre o universo que se encontrava – me deixando com vontade de ler os livros, que nem mesmo existem -, para poder me sentir mais imersa no contexto. O livro alterna entre diversos gêneros, te deixando emocionado, surpreso e curioso ao mesmo tempo. Além disso, só a capa e o trabalho de criação do livro me deixou totalmente curiosa para ler e ter o exemplar em mãos.

- Simon vs a agenda Homo sapiens, que conseguiu mostrar o universo LGBT+ de uma forma menos sofrida do que outras histórias que eu já li – mesmo tendo medo de assumir sua sexualidade para os outros, o protagonista aceita muito tem sua orientação sexual -, mostrando que o romance gay é tão natural quando o heterosexual. Além disso, é impossível não se apaixonar e torcer por todos os personagens que nos são apresentados. Mesmo parecendo um livro um pouco infantil no início, é possível ver a profundidade nos medos de Simon, tanto sobre sua sexualidade, como sobre estar apaixonado por alguém que ele não sabe se está apaixonado por ele de volta.



JOE ALVEZ 

Entre os melhores livros que eu li em 2016, um deles vai entrar para o meu top cem melhores livros de todos os tempos, trata-se de O clube Dumas de Arturo Pérez-Reverte, o livro mistura mistério, história literatura clássica numa narrativa cheia de ritmo e suspense, ele também já foi levado aos cinemas em 1999 pelo diretor Roman Polanski e estrelado por Johnny Depp com o titulo de O Nono Portal.

O segundo livro foi Deuses Americanos de Neil Gaiman. O livro conta a história de um excoordenado, Shadow que vaga por uma América nos dias atuais repleta de deuses mitológicos da Antiguidade enquanto eles lutam com novas divindades, como deuses da Mídia e da Internet o romance mistura elementos como, fantasia, mitologia e aventura, existe uma boa influencia da época em que o Neil Gaiman escrevia para quadrinhos, é um trabalho mais solto e menos pretencioso do autor, o livro está sendo adaptado para uma série que deve estrear no início de 2017.



E é isso galera, até 2017!   

ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

Post a Comment

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes