NOVIDADES

15.10.16

Resenha O Chamado de CTHULHU

“A coisa mais misericordiosa do mundo, creio eu, é a incapacidade da mente humana em correlacionar todo o seu conteúdo. Vivemos numa plácida ilha de ignorância em meio a negros mares de infinito, e não está escrito pela Providência que devemos viajar longe. As ciências, cada uma progredindo em sua própria direção, têm até agora nos causado pouco dano; mas um dia a junção do conhecimento dissociado abrirá visões tão terríveis da realidade e de nossa apavorante situação nela, que provavelmente ficaremos loucos por causa dessa revelação ou fugiremos dessa luz mortal rumo à paz e à segurança de uma nova Idade das Trevas.
Os teosofistas fizeram conjecturas sobre a apavorante imensidão do ciclo cósmico, do qual nosso mundo e a raça humana constituem meros incidentes transitórios. Eles aludiram a estranhas sobrevivências em termos que congelariam o nosso sangue se não fossem mascarados por ameno otimismo.”

Esse é o início do conto, que ao meu ver, é o principal de H P Lovecraft, tanto que a partir dele é que se deu início ao que se convencionou chamar Os Mitos de Cthulhu (Lê-se Ku-tchu-lu). Narrada em primeira pessoa, como em todas as outras historias do autor. O chamado narra a história de uma espécie de investigação sobre essa criatura, narrada ao ponto de vista de um personagem que pela morte de um parente morto, acaba de receber os antigos pertences do falecido e em meio a tudo aquilo encontra uma tosca estátua de argila (Cthulhu) e relatos escritos sobre uma seita que fazia espécies de cultos milenares para a criatura e escrituras sagradas sobre a besta.
Possui um linguajar rebuscado e às vezes exagerado nos adjetivos, pode fazer com que o leitor que não esta acostumado se sinta tentado a não continuar a leitura, mas não desista, o excesso de adjetivos é parte do charme da escrita de Lovecraft e contribui com a descrição do que ele deseja passar para o leitor, o medo a tensão e o terror crescentes.
O Chamado de Cthulhu é uma história curta e bem estruturada, apesar dos excessos de adjetivos e da linguagem rebuscada do início do sec XX. Vale a pena dar uma conferida se você está procurando algo de terror para passar esse Halloween, leia essa história.

ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

Post a Comment

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes