NOVIDADES

15.10.16

Resenha:Pax - Sara Pennypacker


Sinônimo de fofura, PAX, é o livro perfeito para quem está querendo se recuperar de uma ressaca literária. Leve e prazeroso, o livro é de fácil digestão, por isso é rapidamente lido em um dia.
Peter e Pax eram inseparáveis, até que a guerra se aproximou, e seu pai decidiu que era hora de deixarem a pequena raposa na natureza. Assim Pax é abandonado em uma estrada sem grandes movimentos e à beira de um bosque, o pai de Peter vai a guerra, e o menino passa a morar com o avô. Todavia o garotinho percebe que seu lugar é ao lado da raposa, e a partir daí podemos conferir as aventuras dele em busca de seu amigo. 
Enquanto do outro lado, temos toda a adaptação e os problemas que Pax enfrentará ao estar num ambiente diferente do que estava acostumado, e pouco a pouco ele vai aprendendo a lidar com a vida livre na natureza da maneira mais dura e cruel possível. Desta forma, mesmo tendo momentos tão fofos, a história também é marcada por cenas tristes.
Em  outras partes, a história chega a irritar, nós temos um menino sozinho andando por aí em tempos de guerra, durante seu caminho ele vai se deparar com a fazendeira Vola, ex-médica e ao olhos dele “louca”. Era tão simples darem um jeito para que ele fosse muito mais rapidamente a onde estava sua raposa, não havia a necessidade de tanta enrolação. OK, sei que se fosse assim não teríamos história, mas como eu disse, estamos falando de uma criança andando sozinha! Não é possível que ninguém faça mais nada para ajudá-la (de maneira mais eficaz, porque Vola o ajuda, mas poderia ter se feito muito mais!). OK, também sei que a época retratada no livro é um tempo de guerra, e em tempos assim, as pessoas estão com medo e isso as tornam muito mais frias e egoístas. Também sei que a trajetória de Peter demonstra ares de superação e descobrimento pessoal, tanto dele  como o de Pax. E que as vezes temos que desligar nosso botão chamado “racionalização do mundo e de tudo”, para compreender essa história.
            Mesmo com tal critica posso dizer que o livro é marcado por personagens cativantes (principalmente as raposas Pax, Arrepiada e Miúdo. Particularmente as melhores partes da história estão envolta deles), com picos de lealdade e com narração dividida. É um livro que mesmo com cara de infato-juvenil deveria ser lido por pessoas de todas as idades.


ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

Post a Comment

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes