NOVIDADES

6.9.16

Resenha - Entre o Céu e o Inferno

RESENHA
Romance/Drama


Simone Pesci – Entre o céu e o inferno

A autora enviou-me este livro para Portugal, com dedicatória e tudo.

Sem palavras!

Contracapa – “Alex conheceu o sofrimento desde a mais tenra idade”.

Nota-se a paixão da autora pela música, cada capítulo tem o título de uma música (eu gostei disso).

Amei o Prefácio (não conhecia aquela lenda chinesa).

Duas das personagens principais, para além de Alex são : António César Toledo (Toni), seu pai adotivo, seu inferno (“Pois eram aquelas pequenas discussões que acabavam fazendo com que eu fosse a maior vitima de todo aquele espectáculo de horror”) e Maxwell Fonseca (Max), seu céu e que entrou em sua vida quando ela tinha 6 anos, “Aliás, havia sido por intermédio dele, que consegui ter um cantinho mais apropriado para viver e uma infância e adolescência menos dolorosa”. Céu e Inferno quem venceria?

Adorei o seguinte trecho (muito linda a frase) : “E quando eu achava que tudo estava perdido, ele – meu céu – voltou a mostrar-me o caminho da luz. Desta vez, decidi segui-lo sem hesitar. Eu só não contava com um detalhe, de que meu inferno, não me deixaria entrar no paraíso e faria tudo para que eu caminhasse em sua companhia para o purgatório”.

Que raiva daquele pai adoptivo, apeteceu-me entrar no livro e matá-lo, 
mas antes disso, torturá-lo.

O que a autora fez comigo na página 20 foi : sempre que ouvir a palavra “meu doce” de alguém vou querer saltar-lhe para cima e bater-lhe (“Abra essa porta agora, minha doce menina… Papai precisa de carinho neste instante. Se não abrir por bem, abrirei por mal.”)

O pai de Max, já falecido, era seu herói. Eliza Maria, vai ser importante, era mãe de Max “Por alguns instantes senti uma tremenda inveja por não ser eu aquela criança sortuda, com uma mãe tão carinhosa.”

Alex passou fome e teve que cometer pequenos furtos e, até, começar a prostituir-se.

Alguns anos se passaram….. Nossa protagonista vive sozinha já tem 28 anos (ainda bem que a autora não colocou mais capítulos com o sofrimento dela para não se tornar cansativo e violento demais… e se alguém sentir falta de partes da história, não precisam, pois elas vão aparecer aos poucos)

Aqueles telefonemas no capítulo 2 deixaram-me nervosa, eu tinha desligado o telefone da corrente (leiam para saberem do que falo).

A autora dá-nos a conhecer novos personagens : Tito “lábios carnudos e convidativos” (será que sabiam a morango? Kkkkk) e Cacá “era uma linda mulher”, sócios de Alex nos negócios; Juan Medeiros, um empresário do ramo editorial, um homem muito bonito, rico e simpático; Hugo Brandão, um milionário no ramo musical, era o pai biológico de Alex, gostei da maneira como a autora o introduziu, mas Alex culpava-o por tudo de mau que passou, pois ele a tinha abandonado em bebê.

Aquele capítulo 3 foi “brutal”, coitada, parecia que o inferno já tinha passado, mas afinal… “E instantes depois retornou em minha direcção e segurou com força meus cabelos, levantando-me do sofá com brutalidade”. Será que o pai adoptivo tinha voltado? Leiam para saber. Nesta altura deu-me raiva e tive pena dela, apetecia ir lá ajudá-la e mais uma vez usar de tortura lenta, uma vez que o Max tinha desaparecido da vida dela (sabe-se mais tarde o porquê dele a ter deixado, o que lhe custou bastante fazer, mas teve que ser, “Assim, parti para uma nova vida longe das drogas, das loucuras… E terrivelmente, longe de Alex”).

Houve uma coisa que eu não gostei, a autora usa muito a expressão “apenas nos comunicando pelo olhar” em alguns capítulos do livro (o que não é mau), mas no 7 repetiu mais de uma vez. O problema não é repetir no livro, mas no mesmo capítulo…. Mas não fez com que eu não tivesse gostado muito de o ler. Amei o livro, um dos melhores e o meu preferido da autora Simone Pesci, o meu xodó.

Na página 98 quase que tinha um ataque de coração

No capítulo 9, Max entra em cena. Ainda bem que Max apareceu outra vez na vida de Alex, passados 10 anos “Porque não tive coragem de salvá-la do perigo momentos atrás? Como sempre, o meu medo foi maior. E ela sofreu as consequências.” – vê lá se esqueces o medo e a ajudas definitivamente, Max, querido.

Gostei da descrição de Max, por parte da autora que o foi descrevendo em alguns capítulos, “Ele era um molde perfeito de um Deus grego, com os braços fortes e torneados...”

Gostei que a autora colocasse alguns capítulos do ponto de vista de Max, acho até que podiam ter sido mais (onde ele conta o que aconteceu a seu pai, entre outras coisas, também teve a sua dose de inferno, coitado!).

O capítulo 10, foi muito tenso mesmo.

A página 130 fez-me chorar. Que susto que apanhei na página 132. A página 140 e 141 foram perfeitas (uma cena digna de um filme).

Novas personagens aparecem, uma delas é Julia, “se parecia com uma bonequinha de luxo”.

No capítulo 14 acontece o que eu tanto esperava, mas o final do capítulo tinha de ser diferente, aquilo não se faz aos leitores, Simone Pesci.

Amei o capítulo 15, mais um dos poucos narrados por Max, perfeito.

Ela tinha medo de lhe contar toda a verdade. “Poderia o amor perdoar até o pior dos pecados mortais.”

O capítulo 22, deu-me uma raiva, mas infelizmente aquela maldade existe no mundo.

No capítulo 24 tem-se 2 narrativas, a de Max e a de Alex, se fosse eu a escrever o livro só colocaria um dos pontos de vista, pois as frases foram quase todas repetidas.

Na página 277, vieram-me lágrimas aos olhos. O capítulo 27 foi onde chorei mais, só lendo para perceberem o porquê.

Conclusão : Não desejo a ninguém o que ela passou….. minto….. desejo sim, a quem lhe fez as maldades e a pessoas como essa(s).

Trechos
1 – “De imediato meu corpo estremeceu, minhas pernas ficaram bambas e o ar fugiu dos meus pulmões ao escutar aquela palavra que eu estava tão familiarizada a ouvir desde bebê, por uma das piores vozes que habitavam minha memória.”
2 – “Naquele instante me veio em mente uma velha frase, conhecida, por muitos, mas que eu não recordava da origem ´Depois da tempestade, vem a bonança´. Mas, novamente, eu me enganei. A bonança não chegou e por um momento indaguei-me em pensamento – porque estou passando por isto novamente?”
3 – “Só um verdadeiro coração que sangra, sabe a grandeza que é estar ao lado de quem ama…” – amei este trecho
4 – “Ele possuía o dom de acalmar e pacificar meus pensamentos, meu coração e minhas atitudes”

ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

Post a Comment

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes