NOVIDADES

20.9.16

Jacob - Laça esse cowboy


RESENHA 

Romance

Jacob - Laça esse cowboy

O Livro conta a história de Lacey Michells, obstetra que tem 25 anos e Jacob Bennett, autoritário, mas carinhoso (“ergueu a vista e deparou-se com os olhos mais verdes que já vira em sua vida”). 

A tia de Lacey, Zelda parecia querer vê-la fora de Springville (“apesar de tudo, era a única família que lhe restava”). Qual será o mistério dessa tia? A mãe morreu ao dá-la à luz e seu pai suicidou-se. Ela teve que ir para um colégio interno em Houston… “a verdade é que Lacey cresceu sentindo-se rejeitada por todos”. Lacey ficou 12 anos longe de sua terra.

Jacob tem uma irmã, Kate de 12 anos (“o boné enfiado na cabeça escondia os cabelos e o rosto”) e 2 irmãos, David e Lucas. David parecia ser mais duro que os irmãos. Fica-se a saber neste livro o porquê do olhar triste dele. Lucas é mesmo brincalhão… eu gosto, ele quer ver o circo pegar fogo (“Ele era tão alto quanto Jacob e tinha o mesmo porte físico…”). Lucas também guarda um segredo, será que vamos descobrir qual ainda neste livro? Gostei da cena em que David aparece pela primeira vez. Jacob é o irmão mais velho, trata e preocupa-se demais com eles, gosto de irmãos assim unidos. Os pais morreram num acidente de carro quando Kate era um bebê. Eles vivem no Texas em Springville. 

Outra personagem é Sabrina Jackson, ex-modelo, e agora é dona de uma floricultura (Senti falta, mesmo ela não sendo uma personagem central, de uma descrição física).

Aquela Lacey fica corada com tudo o que lhe acontece, tomara, nós, as leitoras estarmos “na pele dela” (“…ainda morta de vergonha e desejando sumir…”). Some de uma vez, assim, nós as leitoras, podemos ficar com o Jacob kkkkkkk

O rancho Bennett era uma das maiores fazendas de gado de corte do país. A autora vai descrevendo o rancho durante a narrativa, mas podia ter descrito ainda com mais pormenores.

Ryan Baker, diretor do hospital onde Lacey trabalha, tem um irmão que é advogado, Alexander Baker (“tinha uma beleza mais impactante do que o irmão.”). Amei a descrição de Alex.

No capitulo 2 é dado a conhecer um pouco da vida de Lacey, gostei da maneira como a autora falou disso.

Nas páginas 17 e 18 gostei do encontro entre 2 personagens que, mais tarde vai ser motivo de piada.

Gostei do capitulo 3, principalmente o final, uma cena a não perder (foi bom e teve piada).

O que dizer do capitulo 4, há uma personagem que faz algo a Lacey que eu não gostei, ao ler só pensei assim “espero vir a saber porque aconteceu isso”. 

Algumas das minhas páginas preferidas do livro, são a 30 e a 31.

Durante a narrativa vão aparecendo novos personagens, como Nannete,ela foi babá de Jacob e é muito extrovertida (“Isso não vai acontecer, Nannete. – disse e piscou malicioso - Eu cuido do que é meu!”) e Donna, uma cobra, cuidado com ela, espero que tenha o seu castigo (“Donna com certeza era o tipo de mulher com quem Jacob deveria sair. O protótipo da Barbie.”).

A página 35 tem uma frase que eu amei: “Se ele engarrafasse o poder daquele beijo ficaria milionário.”

Páginas 36, 37 e 38, adorei, tem humor, amor e ciúmes.

Nas páginas 62, 63, 64 e 65 tem uma situação que podia dar num filme, aquele Lucas é o máximo.

O capitulo 10 é hot … mas Lacey larga mão de ser boba. Deixa a vergonha ir embora, mulher… é mesmo insegura ela (por acaso sou a favor de personagens femininos mais fortes).

Há uma cena engraçada entre Lucas e Jacob nas páginas 75 e 76.

No final do capitulo 11 e inicio do capitulo 12 há um acontecimento muito importante, o tal mistério da Tia Zelda, mas será que existe e é verdadeiro? (“A dor era grande demais.”). Tinha de haver este mistério, Flávia (recado para a escritora)? Estava tudo a correr tão bem. É claro que aquela Donna tinha de estar metida no assunto, que raiva daquela cobra peçonhenta…

Nas páginas 92, 93 e 96 vieram-me lágrimas aos olhos.

Não, não, não… não se acaba assim um livro com aquele epilogo… vou ler o próximo para saber certas respostas que não obtive neste.

Trechos
1 – “A voz do sujeito repercutindo em seu peito era tão estimulante quanto o mais poderoso afrodisíaco.”
2 – “Estava impressionada. Aquele gigante sexy falava com Kate num tom absolutamente doce e com uma submissão planejada.”
3 – “Milhares de borboletas pareciam voar em seu estomago e o sangue em suas veias parecia um fogo liquido a se espalhar por seu corpo. Sua cabeça girou e as batidas de seu coração seguiam em ritmo descontrolado.”
4 – “O corpo dela poderia não ser perfeito para estampar capas de revistas, mas era perfeito para ele.”
5 – “O Homem parecia um desses cowboys saídos das páginas de uma revista, tão másculo que seria impossível qualquer mulher passar por ele e não dar uma boa olhada…”
6 – “Quando o desespero tomava conta do seu coração e achava que não ia aguentar ouvia sua voz garantindo que a amava e que tudo ficaria bem.”




Para quem queira saber alguma coisa acerca da autora, aqui vai


Sobre a Autora

Flávia Cunha nasceu na cidade do Rio de Janeiro/RJ, porém adotou Aracaju/SE, onde vive há muitos anos como sua cidade. Formada em Artes Visuais pela Universidade Federal de Sergipe em 2006 é professora de Artes das Redes Municipal e Estadual da Educação.


Começou a escrever na adolescência, mas foi em 2007 através de uma Comunidade do Orkut chamada “Adoro Romances” que começou a publicar suas histórias usando o pseudônimo Lady Graciosa. Autora independente tem mais de quinze livros publicados no formato impresso e em ebook.

ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

Post a Comment

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes