NOVIDADES

23.6.16

UM POUCO SOBRE A CRASE


A palavra CRASE, (krásis), teve início na Grécia e significa: Fusão, Misturar, Mesclar. Em nossa língua portuguesa ela é muito utilizada para indicar a contração de uma Preposição e um Artigo Feminino.  Outra coisa que confunde muito a cabeça de muita gente é se a Crase é Acento ou não. NÃO!. A Crase não é acento, e sim a junção de dois artigos iguais, tais como: a+a=à, e é representada pelo sinal grave (`).

O uso da crase diante de palavras femininas: 
A crase não acontece antes de palavras masculinas, aliás, somente em alguns casos.

As mulheres foram à feira comprar laranjas.
Vamos à igreja amanhã cedo.
Vamos à loja de ferramentas, hoje.

Atenção! No uso do Até, devemos observar que é Opcional quando ele é seguido de artigo feminino.

Exemplos:
As mulheres foram até à casa de caridade.
As mulheres foram até a casa de caridade.

Aquele (s), Aquela (s), Aquilo:
Ocorre a Crase quando o regente é verbo transitivo indireto e exige preposição

Dediquei àquela mulher todo o meu amor.
Dediquei àquelas mulheres todo o meu amor
Refiro-me àquilo que seu filho fez.
Refiro-me àquilo que seus filhos fizeram.
Não obedecerei àquele mandão.
Não obedecerei àqueles mandões

Não ocorre a Crase quando o regente é verbo transitivo direto e Não exige preposição:

Espero aquele amigo até hoje.
Espero aqueles amigos até hoje.
Comprei aquilo que você pediu
Comprei aquilo que vocês pediram
Perdi aquela camisa vermelha.
Perdi aquelas camisas vermelhas


Horários. Quando indicamos horas:

Exemplos:
Às duas horas começaremos a corrida.
A corrida de pedestres começará às 14h.

As preposições que antecedem os horários: Desde, Para e Até, inibem a utilização da 
Crase. 

Exemplos:
Ela resolveu jantar só, pois estava esperando seu marido desde as 08h.
Pode me ligar, ficarei em casa até as 10h.
O jogo de xadrez foi marcado para as 16h.


Antes de locuções adverbiais femininas que expressam ideia de modo, tempo e lugar. 

Exemplos:
Ela entrou em casa às pressas, pois já era tarde da noite.
Às vezes chegamos muito cansados.

Salvo algumas vezes, a Crase não ocorre antes de palavras masculinas: Porque o artigo feminino a não ocorre antes da palavra masculina:

Exemplos:
A compra de meu carro foi feita a prazo.
As meninas desfilaram com trajes a rigor. (Neste caso, a rigor tem o significado de: a moda de).

Uso opcional:
Antes de substantivos femininos próprios, o uso da crase é opcional: 

Ruy disse seu nome à Cleusa.
Ruy disse seu nome a Cleusa.
Joana entregou as chaves de casa à Maria
Joana entregou as chaves de casa a Maria

Antes de pronomes possessivos femininos, tais como: Minha, Nossa, Vosso, Meu e etc.:, o uso da Crase é opcional:

Exemplos:
Eu devo obedecer à minha professora
Eu devo obedecer a minha professora.

Resumindo:
Antes de palavras masculinas; pronomes pessoais e verbos, não se utiliza o emprego da Crase. Também não se utiliza Crase antes da palavra casa quando se refere a própria casa, mas se utiliza quando se refere a casa de outra pessoa.

Exemplo
Vou à casa de Maria. Vou para a casa de Maria.

Também não se utiliza Crase antes de nomes de cidade, só se utiliza quando o artigo que vem antes é um artigo feminino.

Exemplo: 
Vou à Bahia. Vou para a Bahia.

ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

4 comments :

  1. Nossa eu tinha um medo terrível da crase! Na minha época do colégio tive uma professora que pegava no pé de todo mundo com as regras rs hoje em dia vejo que ela foi uma das melhores professoras que já tive! Estranho essa nossa resistência em perceber a importância das coisas na juventude! Ótimo artigo companheiro! Me fez rever toda uma época!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eu já era péssimo em toda a matéria, não em todas, pois a única que me atordoava era a língua portuguesa, rsrsrs... lembro-me da professora Dona Vera que me deu uma bronquinha porque falei MIM ao invés de EU. Nem lembro mais qual foi a frase que utilizei, rsrsrs

      Muito obrigado, meu querido.
      Tudo de bom.

      Delete
  2. Eu que agradeço, amiga Lena.
    Beijão e tudo de bom.

    ReplyDelete

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes