NOVIDADES

28.6.16

AMBIENTAÇÃO MEDIEVAL

    


   Atualmente a quantidade de livros cujas histórias são ambientadas em cenários medievais vem crescendo rapidamente. Muito disso se deve ao sucesso de obras com essa temática no cinema e na tv, como os filmes baseados nas obras de Tolkien e Game of Thrones mais recentemente. Provavelmente você que está lendo esse post já teve a ideia de escrever uma história com ambientação medieval, ou talvez até já esteja escrevendo. Vou listar abaixo algumas dicas interessantes que vão ajudar você a melhorar e incrementar sua narrativa, e assim conseguir passar para o papel os reinos incríveis que estão em sua imaginação.

Tenha um repertório visual
É muito mais difícil descrever alguma coisa que você nunca viu. Por isso é muito importante ampliar o seu repertório visual. Como eu disse na introdução, hoje em dia temos muitas obras áudio visuais interessantes com ambientação medieval. Procure consumir esse tipo de conteúdo, pois assim você conhecerá mais elementos que provavelmente estarão presentes na sua história, e assim ficará muito mais fácil apresentar esses elementos de forma convincente aos seus leitores.

Busque conhecimento
Outro ponto que ajuda muito na hora de contar sua história é entender sobre os elementos que você está colocando no seu texto. Por exemplo, você saber como é uma espada é diferente de saber que ela é composta por pomo, empunhadura, guarda mão, gume, sulco central, etc..... Demonstrar conhecimento a respeito daquilo que você está escrevendo passa para o leitor maior confiança em sua história.

Cenário Medieval e Fantasia são elementos inseparáveis?
Não. Apesar de ser comum narrativas ambientadas com elementos medievais apresentarem criaturas fantásticas, outras raças, magias e afins, você não é obrigado a incluir a fantasia em sua história. É possível desenvolver histórias incríveis trabalhando apenas com o ser humano e suas problemáticas. Por outro lado, a fantasia dá um toque especial ao mundo criado, levando o leitor a um distanciamento maior de nossa realidade então, se bem utilizado, pode transformar sua história numa experiência única e empolgante para o leitor. No final, usar o recurso da fantasia e suas possibilidades é uma escolha do autor e não uma regra imutável.

Menos é Mais
Na hora de descrever os lugares e cenários de sua narrativa, apesar de ser necessário inserir bem o leitor naquele espaço, não exagere. Investir muitas linhas para descrever um elemento pode tornar a leitura cansativa. Por isso escreva o suficiente para que o leitor consiga visualizar a imagem, mas que deixe espaço para que ele use sua imaginação. O ponto chave é não alterar o ritmo da cena em decorrência de uma descrição dispensável. Vejamos no texto a seguir um exemplo de exagero descritivo que quebra o ritmo da cena: ‘’Ele desembainhou rapidamente sua espada ansioso para entrar em combate. A luz das chamas refletia na lamina forjada nos vales de fogo pelos mais experientes ferreiros do reino. A lamina possuía um sulco central profundo cercado por inscrições antigas que faziam referência a textos dos antigos livros dos primeiros adoradores dos deuses da guerra. As inscrições eram delicadas e bem demarcadas. A empunhadura revestida por tiras de couro cozido garantia maior firmeza para as mãos do guerreiro que tremiam de empolgação. A guarda era incrustada com cristais que foram saqueados das cidades destruídas na antiga guerra. Foram trabalhados em formas assimétricas que remetiam a instabilidade dos primeiros guerreiros e suas campanhas... ‘’ O início do texto indica que o personagem tinha pressa e estava ansioso para entrar na batalha, e o leitor toma para si essa ansiedade, porem em seguida toma-se muito tempo descrevendo a arma do personagem o que frustra a expectativa pela ação iminente. Uma descrição mais detalhada pode ser feita em um momento anterior, numa cena apropriada, para dispensar tantos detalhes na hora de acelerar o ritmo.

Analise seu público alvo
É interessante definir para qual faixa etária sua história será direcionada. Se você, por exemplo, quer atingir um público infanto-juvenil, não vai abordar a violência extrema, estupros, nudez entre outros fatores que devem ser apresentados somente a um público adulto. Defina seu público alvo e a partir daí escolha que tipo de elementos você pode e deve apresentar.


Existem infinitas possibilidades, então desenvolver bem os ambientes e apresentá-los de forma convincente e apropriada ao leitor é de suma importância. Espero que essas dicas tenham lhe ajudado e que tornem mais fácil sua jornada através de seus contos e histórias em ambiente medieval. Até a próxima. 

ESPALHA PROZAMIGO:

QUEM ESCREVEU:
\

Post a Comment

 
Back To Top
Copyright © 2014 Armada de Escritores. Designed by OddThemes